Rimedi - Qual a forma mais comum de tratar as úlceras varicosas?

Posted on

Um grupo de pesquisadores da USP desenvolveu um tratamento que tem auxiliado pacientes com úlceras como essas.

Nos casos mais leves, o tratamento pode ser feito em casa e os antibióticos são tomados na forma de comprimidos ou injeções no músculo (nádegas). Se o tratamento não for feito de maneira completa, a infecção pode voltar pior. Nos casos mais graves, o tratamento mais adequado é feito com internação no hospital e os antibióticos são dados diretamente na veia. Os sistemas de saúde gastam mais de mil milhões de euros por ano para o tratamento da úlcera venosa da perna, ou ulcus cruris venosum. O tratamento divide-se em três fases Como consequência da insuficiência venosa crónica, a ferida da úlcera é rodeada, regra geral, de tecido conjuntivo endurecido, que tem de ser removido. Uma ferida infectada não tratada pode alastrar e provocar lesões nas células saudáveis, originando problemas graves. Uma ferida infectada em geral fica muito dolorosa e a pele circundante fica quente, vermelha e inchada. Uma ferida infectada pode ser tratada e curada, na maior parte dos casos. O médico poderá receitar-lhe antibióticos e dar-lhe instruções específicas para o tratamento da ferida.

A CICATRIZA PODE TE AJUDAR NO TRATAMENTO DE ÚLCERA VENOSA

  • Ter um corte no pé
  • Ter ferida no pé ou na perna
  • Ter micose (fungos) entre os dedos
  • Ter inchaço na perna
  • Estar acima do peso

Por vezes, nos casos em que a ferida está muito infectada, torna-se necessária uma cirurgia.

O tratamento deve ser sempre realizado por um profissional de saúde e consiste na limpeza da ferida, aplicação de um curativo e de compressão no local. Em casos mais graves, pode ser recomendada a cirurgia para melhorar a circulação nas pernas que pode ajudar a úlcera a curar e prevenir problemas semelhantes mais tarde. Durante o tratamento, também é importante colocar as pernas acima do nível do coração por meia hora, 3 a 4 vezes ao dia. O tratamento para úlcera pode ser feito com a toma de medicamentos ou de forma natural. Confira: O tratamento para a úlcera gástrica pode ser feito com a toma de medicamentos anti-ácidos e de antibióticos, quando a bactéria Helicobacter Pylori estiver presente. É importantíssimo fazer o correto diagnóstico do tipo de úlcera para se aplicar o tratamento específico para cada tipo de úlcera de MMII. Para os outros tipos de úlceras não foram encontrados estudos comparativos para seu tratamento. O tratamento da úlcera varicosa é difícil e a sua cicatrização é lenta. Já o tratamento cirúrgico pode ser indicado em alguns casos de úlcera varicosa.

Qual a forma mais comum de tratar as úlceras varicosas?

  • Existência de feridas nas pernas, ou histórico de feridas no passado;
  • Presença de varizes nas pernas;
  • Uso de cigarro em excesso;
  • Obesidade;
  • Presença de outros problemas circulatórios;
  • Osteoartrite.

O responsável pelo tratamento da úlcera varicosa é o médico angiologista ou cirurgião vascular.

O tratamento da úlcera venosa consiste em uma série de medidas. O tratamento consiste em medidas gerais para diminuir a hipertensão venosa e o tratamento da úlcera. É necessário tratar também, quando presente, o prurido (coceira) e as alterações de pele causadas pela insuficiência venosa crônica com pomadas ou cremes com corticoide. Atualmente existem meias elásticas específicas para o tratamento de úlcera que chegam até 40mm de compressão. Os clínicos têm um interesse renovado no uso selectivo de anti-sépticos tópicos para tratamento de feridas, uma vez que as bactérias estão a tornar-se resistentes aos antibióticos. Embora seja necessária mais investigação, os apósitos de mel deverão ser considerados uma alternativa eficaz no tratamento de diferentes tipos de ferida, particularmente aquelas multitratadas e complexas. Existem textos com mais de 4000 anos, onde é relatada a utilização de mel no tratamento de feridas (Cooper et al, 2009). O desenvolvimento de diferentes apósitos contendo mel constitui, assim, uma nova oportunidade no tratamento de diversos tipos de ferida, com especial ênfase nas feridas multitratadas. M. F. G. Mulher de 60 anos, com úlcera no maléolo interno da perna esquerda, a realizar tratamento desde 22/09/2010.

  • Para úlceras arteriais encontramos:

A 05/11/2010, altura em que iniciou tratamento com mel, a lesão apresentava essencialmente tecido desvitalizado e algum tecido de granulação, exsudado seroso em pequena quantidade, sem odor e sem edema.

Caso 2 – Sr. J. S. Homem de 77 anos, com úlcera na face externa da perna direita, a realizar tratamento desde 01/2008. A 12/11/2010, dia em que iniciou tratamento com mel, a lesão apresentava essencialmente tecido de granulação, exsudado hemato-purulento em moderada quantidade, cheiro fétido e pele perilesional ruborizada. R. S. Mulher de 84 anos, com úlceras no maléolo interno da perna direita, a realizar tratamento desde 07/12/2010. A 31/12/2010 apresentava duas lesões com tecido desvitalizado, pele perilasional ruborizada, exsudado seroso em pequena quantidade e sem odor, tendo-se iniciado tratamento com mel. A 13/01/2011 devido à maceração da pele perilesional, foi alterado o tratamento para apósito de alginato não aderente impregnado com mel medicinal de manuka, mantendo-se a meia de compressão. E. S. Mulher de 77 anos, com duas úlceras na face interna da perna esquerda, a realizar tratamento há 11 anos. Torna-se, assim, fundamental escolher o tipo de apósito em conformidade com as características das feridas, para que se possa optimizar o tratamento com o mínimo de efeitos adversos. Independentemente da causa , estas úlceras são propensos à infecção , muitas vezes, fazendo um tratamento antibiótico uma parte necessária da cicatrização . Os outros quatro (50%) pacientes não souberam informar o tipo de antibiótico usado para tratar a infecção.

Outros autores15 destacam que tal associação sugere a importância do controle e/ou tratamento da insuficiência venosa crônica, além do tratamento da hipertensão arterial, diabetes e da obesidade.

No quesito tratamento tópico da úlcera venosa, identificaram-se algumas não conformidades com a literatura, já que a maioria dos pacientes não usava terapia compressiva e não fazia repouso. Úlceras de Perna Dr. Baptista Muraco Netto Tratamento Como é o tratamento? O tratamento das úlceras de perna deve visar a cura Podem ser de tratamento mais simples, mas é bem comum que sejam crônicas, comprometendo o funcionamento saudável dos membros inferiores e requerendo tratamentos prolongados e algumas vezes dolorosos. Nestes casos, é preciso não apenas tratar a ferida, mas a causa que leva ao aparecimento desta úlcera. Pode haver a possibilidade de se fazer um enxerto de pele, e é o médico quem irá decidir a melhor forma de tratar as úlceras. O tratamento costuma ser demorado, e caso as feridas demorem para cicatrizar, é preciso seguir com o tratamento pelo resto da vida. O tratamento é semelhante ao das úlceras varicosas, com cremes, antibióticos e limpeza das feridas. A erisipela, ao contrário dos outros tipos de úlcera na perna, é causada por uma infecção na parte mais superficial da pele dos membros inferiores. Somente o médico está capacitado para indicar o melhor tratamento e quanto mais cedo este começar, mais eficaz será. Feridas nas pernas podem se tornar problemas crônicos e o tratamento precoce ajuda a evitar consequências mais sérias. Saiba mais sobre esta doença em sintomas e tratamento da celulite infecciosa. Colaboração: Dr. Flávio Luz – Dermatologista O seu tratamento, mesmo quando realizado de modo adequado, costuma ser prolongado, requer acompanhamento médico semanal, curativos diários, dieta indicada e muito repouso. O seu tratamento, mesmo quando realizado de modo adequado, costuma ser prolongado e requer acompanhamento médico, curativos diários, dieta saudável e muito repouso. Categoria da Evidência: O uso de meias elásticas no tratamento de úlceras apresenta Grau de Evidência A Existem duas principais estratégias utilizadas para prevenir e tratar a infecção clínica em úlceras venosas: antibióticos sistêmicos e antibióticos tópicos ou anti-sépticos. Para preparações de uso tópico, há alguns indícios que sugerem que o iodo Cadexomer gera taxas mais altas de cura do que o tratamento padrão. No entanto, agora é um pouco difícil indicar esse tipo de tratamento, porque a injeção não pode mais ser aplicada nas farmácias, como era antigamente.